Imagem

António Cartaxo distinguido com o Prêmio António Alçada Baptista



2012-02-12

O radialista português António Cartaxo foi distinguido com o Prêmio António Alçada Baptista pela sua obra Quase verdade como são memórias, editada em 2010.

O Prêmio, atribuído pela primeira vez este ano pela Sociedade Portuguesa de Autores (SPA), destina-se a uma “obra de caráter autobiográfico e memorialístico” e tem um valor pecuniário de dois mil Euros.

Segundo a nota da cooperativa de autores, o galardão foi “atribuído por unanimidade ao escritor, musicólogo e radialista António Cartaxo, pelo seu livro de memórias Quase verdade como são memórias, editado pela Colibri”.

O júri do Prêmio foi constituído pelos escritores António Torrado e José Jorge Letria e pelo encenador João Lourenço, que, segundo o mesmo texto, “consideraram esta obra merecedora da distinção pela sua qualidade literária e de testemunho cultural e social”.

A história, toda ela, tem um fio condutor, de certa forma é romanceada, mas é uma reflexão sobre a vida e o que se passou, disse António Cartaxo.

O Prêmio foi criado para homenagear o escritor português António Alçada Baptista, falecido em 2008.



Revista Pessoa
 



Sugestão de Leitura


Paulo Flores, Gonçalo Sousa e Agualusa recebem convidados para tertúlias à beira do Tejo

  Durante os fins de semana do mês de julho, o Projecto SomSabor promove tertúlias com escritores, artistas e pens ...

A palavra como reposta ao sofrimento

  O Museu da Língua Portuguesa lança nesta segunda-feira (13/7) o Palavra no Agora. A proposta é estimular ...

Escritores criam plataforma para gerar renda e novas interações com leitores

  Como resposta à crise que se abateu sobre o mercado literário devido à quarentena no Brasil, um grupo de escritore ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2020 REVISTAPESSOA.COM