Imagem

Literatura em cena na FLIP



2011-06-30

Em cena, a literatura brasileira. Com quatro espetáculos baseados em textos – prosa e poesia – da literatura brasileira e encenados por seus poetas e ficcionistas, o Itaú Cultural participa da Festa Literária Internacional de Paraty (FLIP), que começa no início de julho na cidade carioca. Entre os dias 7 e 10 (quinta-feira a domingo), o instituto apresenta uma programação de literatura brasileira na Casa de Cultura, também situada no centro histórico do município. As atividades abrem no primeiro dia, às 17h, com o Recital Multimídia da obra de Oswald de Andrade, uma produção cênica com os poetas Frederico Barbosa e Susanna Busato, o música Marcelo Ferreti e os VJs do coletivo MALLARMIDIALab.

Este recital multimídia reverencia o escritor paulistano Oswald de Andrade, homenageado nesta edição da FLIP. Assim, o grupo joga luz nas características de sua obra e vida: o verso livre, o poema-pílula, o prosaísmo e o coloquialismo, e o poema-piada, que usa do humor e ironia para parodiar amplos domínios da própria literatura, de forma simpática ou demolidora. Nos dois dias seguintes, acontece o que, para muitos, poderia parecer improvável: autores de livros sobem ao palco e interpretam algum personagem de sua obra sob a batuta de diretores de teatro. Trata-se do evento Autores em cena – cujas três primeiras edições, sempre com curadoria do escritor pernambucano Marcelino Freire, como agora, foram apresentadas no próprio Itaú Cultural.

Na sexta-feira, 8, às 18h, o escritor, ator e quadrinista Lourenço Mutarelli é dirigido por Nilton Bicudo. Embalados pelo som de Tunica Teixeira, eles apresentam O outro, um relato dos últimos minutos de vida do pai de Mutarelli, que tinha o mesmo nome que o filho. Sábado, dia 9, às 18h, é a vez de Solidão continental, peça em que a diretora Fernanda D’ Umbra dirige o escritor João Gilberto Noll e Edson Kumasaka faz o som. Em cena, uma viagem pelos interiores do protagonista anônimo de Nolll, que se locomove, se debate e vira estátua, desde a Copacabana do seu romance A fúria do corpo, até o abraço final com seu amante na selva brasileira.

Fechando a programação especial do Itaú Cultural na FLIP, às 11h do domingo, dia 10, Sérgio Vaz, o poeta da Cooperifa, Rodrigo Ciríaco, educador, escritor e colaborador da Cooperifa, Cocão, poeta e rapper, vocalista do grupo Versão Popular, e Marcelino Freire, apresentam Palavras das ruas. No espetáculo de poesia com autores que conhecem e escrevem sobre as ruas de São Paulo, conduzido por Vaz, se fala de pedras, várzea, quebradas, sarau, Maria e João, café com leite, facão, corre, corre, poesia, vira-lata.



Revista Pessoa
 



Sugestão de Leitura


Editora curitibana aporta em Lisboa

  Fundada em 2014, em Curitiba, Paraná, “com muitas ideias na cabeça e poucos recursos no bolso”, como sublinha ...

Livro premiado em Portugal será publicado pela Todavia no Brasil

Romance de estreia de Itamar Viera Junior, Torto arado venceu o Prêmio Leya 2018 por unanimidade. O júri, presidido pelo e ...

Inscrições abertas para o Prêmio Leya de Literatura 2019

A edição de 2019 do Prêmio Leya receberá inscrições até o dia 30 de abril. O concurso internacion ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2019 REVISTAPESSOA.COM