Imagem

Livraria de Lisboa considerada a mais antiga do mundo



2011-04-21

Fundada pelo francês Pedro Faure, que se associou mais tarde aos irmãos Bertrand (Pierre e Jean Joseph), a livraria tem sido retiro de escritores e refúgio de revolucionários. Entre os seus frequentadores habituais estavam Alexandre Herculano, Eça de Queiroz ou Ramalho Ortigão.

Conspiradores republicanos como José Fontana (que se suicidou no interior da loja), Antero de Quental e Aquilino Ribeiro também usaram a livraria para discussões políticas.

Paulo Oliveira, administrador do Grupo Bertrand Círculo, proprietário do espaço, disse à agência Lusa que a loja do Chiado irá continuar como livraria “por mais 300 anos”, já que “representa um patrimônio cultural inalienável”.

A Bertrand, mais do que uma marca comercial, “simboliza a relação entre o leitor e o livro, em Portugal”, disse Paulo Oliveira ao lembrar as muitas tertúlias, lançamentos de livros, colóquios e debates, que constituem um tesouro de vivências culturais daquele espaço.



Revista Pessoa
 



Sugestão de Leitura


A palavra como reposta ao sofrimento

  O Museu da Língua Portuguesa lança nesta segunda-feira (13/7) o Palavra no Agora. A proposta é estimular ...

Escritores criam plataforma para gerar renda e novas interações com leitores

  Como resposta à crise que se abateu sobre o mercado literário devido à quarentena no Brasil, um grupo de escritore ...

Escritores ganham edital de emergência no Brasil

  Lançado pelo Itaú Cultural, o edital de emergência contempla duas categorias: Escrita - prosa ou poesia e  ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2020 REVISTAPESSOA.COM