Imagem

Editoras brasileiras apostam em autores africanos lusófonos



2010-12-10

Cresce o interesse no Brasil pela literatura africana de expressão portuguesa. A Editora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) lançou recentemente a coleção Poetas de moçambique, composta por antologias de poetas modernos daquele país. Os autores escolhidos estabeleceram diálogo com a literatura brasileira, especialmente com as obras de Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Vinícius de Moraes e Manuel Bandeira.

Os primeiros volumes são dedicados a José Craveirinha, o primeiro autor africano galardoado com o Prêmio Camões, em 1991, e Rui Knopfli, autor de Memória consentida e vencedor do prêmio de poesia do PEN Clube, em 1984.

Ao mesmo tempo, a Ateliê Editorial, em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa no Estado de São Paulo (FAPESP), lançou Portanto... Pepetela, organizado por Rita Chaves e Tania Macêdo, professoras de Literaturas Africanas de Língua Portuguesa da Universidade de São Paulo. O livro inaugura uma série de coletâneas sobre autores lusófonos da África dentro da coleção Estudos Literários, da Ateliê Editorial.

O angolano Pepetela, premiado com o Prêmio Camões de 1997, esteve recentemente no Brasil onde participou no Fórum das Letras de Ouro Preto. Com apresentação do moçambicano Mia Couto, o livro reúne 38 artigos e ensaios de estudiosos da obra de Pepetela.



Revista Pessoa
 



Sugestão de Leitura


Editora curitibana aporta em Lisboa

  Fundada em 2014, em Curitiba, Paraná, “com muitas ideias na cabeça e poucos recursos no bolso”, como sublinha ...

Livro premiado em Portugal será publicado pela Todavia no Brasil

Romance de estreia de Itamar Viera Junior, Torto arado venceu o Prêmio Leya 2018 por unanimidade. O júri, presidido pelo e ...

Inscrições abertas para o Prêmio Leya de Literatura 2019

A edição de 2019 do Prêmio Leya receberá inscrições até o dia 30 de abril. O concurso internacion ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2019 REVISTAPESSOA.COM