Imagem 1493052082.jpg

Viva o povo brasileiro

Grupo de prisioneiros - Guerra de Canudos. Flávio de Barros/Acervo Museu da República



2017-04-24

Romance de João Ubaldo é uma contundente sátira aos donos do Brasil

 

Uma assimetria de base sustenta o monumental Viva o povo brasileiro (1984), com que João Ubaldo Ribeiro coroou a experiência de sua ficção anterior, aliás sua obra como um todo. Talvez numa imitação do próprio movimento da História, o espaço dedicado a certas personagens compensa as inúmeras lacunas e os fios soltos, o muito que não coube nas 673 páginas do romance.

Como sátira da classe dominante baiana, protótipo do que viria a ser a “elite” brasileira, a obra não poderia ser melhor. Desde o barão de Pirapuama, falso herói da Independência que foi sempre o maior dos sacripantas, até os descendentes de Amleto Ferreira, esbulhador e multiplicador, em benefício próprio, da riqueza daquele nobre fajuto, o leitor acompanhará uma crônica ao longo da qual a rapina e a hipocrisia serão sistematicamente recobertas pelo verniz dourado da propriedade. É assim que Bonifácio Odulfo, a princípio um obscuro poeta ultrarromântico da província, se torna o paradigma do pseudocapitalismo brasileiro, acabando por estabelecer os vultosos negócios da família num Rio de Janeiro às...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$0,99

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.

ASSINATURA

DESDE R$12,90

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA



  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição

MICROPAGAMENTO

R$0,99

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.

ASSINATURA

DESDE R$12,90

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA





  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição
  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Eloésio Paulo

Eloésio Paulo nasceu em Areado, Minas Gerais. Doutorou-se em Letras pela Unicamp em 2004. Publicou Literatura e ideologia em dois romances dos anos 1970 (2014), Os 10 pecados de Paulo Coelho (2007) e Teatro às escuras (1997), além dos livros de poemas Primeiras palavras do mamute degelado (1990), Cogumelos do mais ou menos (2005), Inferno de bolso etc. (2007), Jornal para eremitas (2012) e Homo hereticus (2013). Foi resenhista de O Estado de São Paulo, Jornal da Tarde e O Globo. Pela editora Dubolsinho, publicou em 2010 Parque de impressões, poemas para crianças. No site da revista Pessoa, Eloésio publica resenhas de romances dos séculos XIX e XX, que integrarão seu próximo livro, o Pequeno guia do romance brasileiro.




Artigos Relacionados


Ópera dos mortos

  O estilo um tanto artificioso, a destoar de certas imperícias gramaticais, parece evidenciar dois fatos. Primeiro, que foi, &agr ...

O Coruja

A que vem, lá pela metade do último terço da narrativa, aquela referência à luta de Branca contra a “best ...

Caminho de Pedras

Parece que Rachel de Queiroz vacilou um pouco quanto ao que seria o fulcro narrativo de Caminho de pedras. O enredo transita da caracteriza&ccedi ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2017 REVISTAPESSOA.COM