Imagem 1497620258.jpg

Acordo sem combinado

Biblioteca de Zutphen, Holanda



2017-06-16

 

Ah, o Acordo Ortográfico. Escrevi assim com maiúsculas porque penso nele como uma entidade mesmo, o nome próprio de um combinado que ninguém combinou direito. Um acordo nascido desfeito que atingiu muito pouco as pessoas reais, de carne e osso, que efetivamente usam uma língua. Ou estarei errada? Já acho que estou.

Em uma sala de aula do Sudeste do Brasil, um aluno do ensino superior, anos atrás, dirigiu-se a mim, a professora de Português, em um tom quase desesperado. Com os olhos arregalados (adoro esta palavra!), fez a seguinte pergunta, na expectativa ingênua de que eu pudesse resolver sua questão de...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Ana Elisa Ribeiro

É mineira de Belo Horizonte, onde trabalha e reside. É professora e pesquisadora do Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais, onde atua na área de Linguagem e Tecnologia, em três níveis de ensino. Publicou mais de trinta livros para crianças, adolescentes e adultos, sendo os mais recentes os poemários Álbum (Relicário, 2018) e Dicionário de Imprecisões (Impressões de Minas, 2019). É colunista do Digestivo Cultural e da Revista Pessoa. Fotografada por Sérgio Karam.




Sugestão de Leitura


Bye, Pessoas

  Obrigada. Eu vim aqui me despedir. Talvez eu tenha aprendido, na escola ou com minha mãe, que em despedidas a gente diz tchau, a ...

Um porquê só, e olhe lá

  Se tem uma palavra entojada em português é o porquê. Ao menos aqui por estas bandas, são quatro versõe ...

A gente gosta d’a gente

  Lembro de ler num livro literário, mais de uma vez, não sei mais de quem nem quando, uma composição que me ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2023 REVISTAPESSOA.COM