Imagem 1499017028.jpg

Ato

Acervo da autora



2017-07-01

Esta coluna decide não escrever NADA.

Ela repudia o não cumprimento da lei dos salários dos funcionários públicos do Estado do Rio de Janeiro.

O desmonte salarial e laboral da

Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Para todos os que dedicaram sua vida à palavra – a sala de aula – é ela que nos falta agora.

Na exata medida da falta de respeito com que tratam o seu [nosso] trabalho.

Violento silenciamento.

Ausência e impotência da palavra.

Pelo pagamento dos salários!

 

 



Ana Kiffer
Professora Associada da Pós-Graduação em Literatura, Cultura e Contemporaneidade da PUC-Rio, escritora, curadora da Exposição ‘Cadernos do Corpo’ (CCJF, 2016), uma das fundadoras da Revista DR, pesquisadora da obra do francês Antonin Artaud. Autora dos livros A punhalada [poesia], (7Letras, 2016, coleção Megamini), Antonin Artaud (EDUERJ, 2016), e das coletâneas Sobre o Corpo (7Letras, 2016), Expansões Contemporâneas – literatura e outras formas (UFMG, 2014), Experiência e Arte Contemporânea (Ed. Circuito, 2013), entre outros artigos e ensaios.



Artigos Relacionados


Tornar-se mulher - parte III

- o tornar-se mulher e o devir escrita ou o tornar-se escritora e o devir mulher - parte III   durante uma parte do ano de 2016 con ...

Tornar-se mulher - parte 2

    para Wanda Araújo   Que essa garra de ferro Imensa Que apunhala a palavra Se afaste Das bocas dos poeta ...

Tornar-se mulher

- o tornar-se mulher e o devir escrita ou o tornar-se escritora e o devir mulher - parte I [...] esses momentos de silêncio nã ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2017 REVISTAPESSOA.COM