Imagem CAPA-713x1024.jpg

Festival Literário em clima de violência e literatura



2015-08-07

O município de Extrema, localizado no interior de Minas Gerais, a 100km da cidade de São Paulo, terá seu 2º Festival Literário, entre 13 (quinta-feira) e 16 (domingo) de agosto, na Praça Presidente Vargas, no Centro. O evento contará com a presença de grandes nomes da literatura brasileira, debates, oficinas, música, jogos e teatro infantil. Tudo com entrada franca. O FLEX 2015 conta com o apoio da Prefeitura Municipal de Extrema, por meio da Gerência de Cultura.

O tema principal desta segunda edição será “A Violência Na Literatura”, e contará com uma homenagem ao nonagésimo aniversário do escritor Rubem Fonseca e aos quarenta anos do livro de contos “Feliz Ano Novo”, de sua autoria.

“Rubem Fonseca é um dos maiores ficcionistas brasileiros vivos, responsável por influenciar uma legião de escritores em nosso país, com a sua prosa cinematográfica e brutalista, além de ter um enquadrado um perfil urbano à nossa literatura. Acho que não poderíamos ter feito uma escolha melhor já que a sua obra se dialoga com o tema deste ano em nosso festival”, comenta o curador do evento, o cineasta Marcelo Spomberg.

Uma das novidades da programação deste ano será a 1ª Mostra de Cinema Panasonic, no Clube Literário e Recreativo de Extrema (CLRE). Entre as produções nacionais, que serão exibidas durante a Mostra, com a presença de seus respectivos realizadores, constam o inédito “Cidade de Deus: 10 Anos Depois”, de Cavi Borges; “A Queima a Roupa”, de Thereza Jessouron; e os premiados “Elvis e Madona”, de Marcelo Laffitte, e “O Cheiro do Ralo”, de Heitor Dhalia.

Na Tenda dos Escritores estarão presentes Edir Augusto, Raphael Montes, Luiz Biajoni e Silvia Ferrante, que disponibilizarão seus livros a 20 leitores e falarão sobre os seus processos criativos. Além disso, o evento registrará o lançamento dos livros do jornalista, músico e escritor Cadão Volpato (mediador das mesas do evento) e dos já citados Luiz Biajoni e Silvia Ferrante.

O escritor Marcos Peres, vencedor do Prêmio São Paulo de Literatura 2015, na categoria “Autor Estreante”, com o livro “O Evangelho Segundo Hitler”, relembra sua participação na primeira edição do evento e acredita no potencial do FLEX para a formação de leitores no país: “Não ouso negar que o Festival nasce grande e tem vocação para cravar-se, definitivamente, no circuito dos tradicionais eventos literários. Em tempos de crise, de cortes na área cultural, saber que há escritores e leitores reunidos em Extrema é gratificante; significa que a maré, mesmo forte, não impede o êxito em nadar no sentido contrário. A literatura brasileira agradece.”

Das oficinas que serão oferecidas este ano, haverá uma direcionada a professores da rede pública e particular de Ensino, com a escritora Beth Ziani, doutora em Literatura e especialista em Guimarães Rosa. Já o escritor Marcelino Freire ministrará uma oficina sobre criação literária. Outra, direcionada a jovens entre 13 a 18 anos de idade, matriculados nas escolas do município de Extrema, terá como objetivo produzir material em audiovisual e fotográfico, com a supervisão de profissionais da área de jornalismo.

Como em 2014, o Festival Literário de Extrema promoverá o game “Eu sei como se escreve”, com premiação das marcas-parceiras Panasonic e Multilaser.



Confira a programação completa das mesas do 2º Festival Literário de Extrema:

Sexta – 14/08

11h às 12h30 – Homenagem a Rubem Fonseca

A mesa de abertura do Festival contará com um debate entre o professor da USP, doutor Ariovaldo Vidal, especialista na obra fonsequiana; e a escritora Paula Parisot, grande admiradora e amiga do escritor.

Mediação: Cadão Volpato

15h00 às 16h30 – “Violência: ameaça real e silenciosa”

Falará sobre a quantidade de crimes que a maioria das pessoas não consegue entender, de criminosos que são considerados psicopatas e cometem crimes brutais. O psicanalista forense e escritor Guido Palomba e a escritora, especialista em criminologia, Ilana Casoy falarão sobre o assunto.

Mediação: Cadão Volpato

Sábado - 15/08

11h às 12h30 – “Realidade e outras emoções”

Retratará brigas de gangues e o fator determinante da linguagem na literatura. Para falar sobre o assunto, estarão dois escritores Marcelino Freire e Edir Augusto.

Mediação: Cadão Volpato

14h00 às 15:30h – “Literatura escrita com sangue”

Serão discutidas questões ligadas à violência dentro do aspecto urbano, como acontecem na ficção dos escritores Raphael Montes e Reinaldo Moraes, convidados desta mesa.

Mediação: Cadão Volpato

16h00 às 17:30h – “Cinema Adaptado”

Abordará o cinema que faz adaptação de obras literárias que têm como fundamento a violência. Na mesa, os debatedores serão Lourenço Mutarelli e Helvecio Ratton.

Mediação: Cadão Volpato

Domingo – 16/08

11h às 12h30 – “Jornalismo Investigativo”

O jornalista Marcelo Rezende é o grande convidado desta mesa, que falará sobre o jornalismo investigativo e a realidade criminosa que ganha destaque nos noticiários televisivos.

Mediação: Cadão Volpato

15h00 às 16:30h – “Preconceito e outras minorias”

Nesta mesa abrangerá o preconceito de todos os níveis, seja em relação à orientação sexual, cor da pele ou questão religiosa, entre outros. Os escritores Luiz Biajoni e Ana Paula Maia participarão da conversa.

Mediação: Cadão Volpato



Revista Pessoa
 



Sugestão de Leitura


Livro premiado em Portugal será publicado pela Todavia no Brasil

Romance de estreia de Itamar Viera Junior, Torto arado venceu o Prêmio Leya 2018 por unanimidade. O júri, presidido pelo e ...

Inscrições abertas para o Prêmio Leya de Literatura 2019

A edição de 2019 do Prêmio Leya receberá inscrições até o dia 30 de abril. O concurso internacion ...

Poesia liga Belo Horizonte ao Porto

A revista DiVersos, que publica poesia e tradução desde 1996 no Porto, em Portugal, dedica uma edição especial ao &ld ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2019 REVISTAPESSOA.COM