Imagem 1515501938.jpg

Reduzindo palavras, formando a língua

Foto: Oscar Sutton



2018-01-06

 

Se a tese for de uma ala mais conservadora, gramaticófila, vai dizer do absurdo que isso é e de como isso representa o assassinato da língua portuguesa. Se a tese for dos linguistas menos passionais, é possível encontrar análises mais descritivas e uma conclusão mais sossegada sobre as mudanças pelas quais a língua normalmente passa. Lembrando que essas abreviações impactam a escrita, se é que impactam, e não a fala. Bom, a fala é outro longo assunto.

 

Uso OK para quase tudo. Você não usa não? Acho impressionante como uma palavrinha dessas pode ser compreendida ao redor do mundo, se bobear. Até como gesto é capaz de ser compreensível em todo canto. (Quando eu fazia “joia”, com o dedão, para minhas amigas chinesas, elas riam e não entendiam lhufas... mas quando eu fazia OK, que no Brasil é meio ofensivo, elas sacavam na hora, sem se ofender nadica. Eu é que achava engraçado).

Mas o que é OK? Se a gente recorrer à Wikipédia, vai encontrar lá uma lista de possibilidades para a origem do OK, sem grandes conclusões: uma espécie de corruptela de olles kloer, do baixo alemão, para all correct, em inglês (tudo certo, em bom português). Mas pode não ser nada disso. A Wikipédia dá o OK como acrônimo, que é quando a gente só fala as primeiras letras da expressão. Tem acrônimo a dar com pau na nossa vida: OMG, ONG, PBH, BNH, CEF,...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$1,99

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.

ASSINATURA

DESDE R$12,90

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA



  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição

MICROPAGAMENTO

R$0,99

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.

ASSINATURA

DESDE R$12,90

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA





  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição
  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Ana Elisa Ribeiro

Ana Elisa Ribeiro nasceu em 1975, em Belo Horizonte, cidade onde vive. É autora de livros de poesia, conto, crônica e literatura infantojuvenil, por diversas editoras brasileiras. Bacharel e licenciada em Letras pela Universidade Federal de Minas Gerais, onde também se formou mestre e doutora em Estudos Linguísticos.É professora e pesquisadora nos campos da Linguística Aplicada e da Edição, no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais.




Sugestão de Leitura


Língua é coisa de museu

  Telefone fixo é coisa de museu. Livro antigo é coisa de museu. Correspondência é coisa de museu. Móve ...

Dia da Língua Portuguesa, um deles

Já notaram que, de vez em quando, uma data pipoca no nosso calendário como dia comemorativo de alguma coisa? Eu noto sempre. E, des ...

Gramáticas e dramáticas da língua

  Erro gramatical, problemas de gramática, conferir na gramática, “a” gramática. Há pelo menos um ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2018 REVISTAPESSOA.COM