Imagem 1535372847.jpg

Formas e sentidos. Uma conversa-crítica com Paulo Henriques Britto 

Foto: Paulo Henriques Britto. Divulgação



2018-08-27

Claro, a gente está sempre se relacionando com a tradição. Afinal, o que é ser pós-moderno?  É poder usar tanto o soneto clássico quanto o poema concreto, que já tem quase 50 anos. Escrever um poema concreto hoje não é mais ser vanguardista... Você pode usar essa forma ou a do soneto a partir de uma visão de mundo que já não tem mais nada em comum com o seu contexto de aparição. Nesse momento pós-tudo em que vivemos, temos a nossa disposição esse repertório imenso. O sentido anda escasso, mas podemos sempre ressignificar formas do passado. Isso é uma grande liberdade.

Li Nenhum mistério assim que saiu dos cadernos virtuais que Paulo Henriques Britto mantém na nuvem e virou um arquivo pdf enviado à editora. O prazer de descobrir os poemas deste seu último livro, o sétimo de poesia, veio junto com um pedido inesperado. Com a simplicidade de quem não faz grande caso de sua carreira literária brilhante, e muitas vezes premiada, Paulo me pediu sugestões para o título. Minha leitura surgiu desse desafio de encontrar, no livro, o nome que lhe conviria. Assim, a gravação aqui transcrita com mínimas alterações não corresponde propriamente a uma entrevista, mas a uma conversa em torno da leitura que fiz, de alguns poemas que lemos e comentamos durante o encontro, e de questões que surgiram a partir daí. Misto de leitura e bate-papo, essa conversa-crítica inclui uma reflexão sobre o valor afetivo das formas poéticas tradicionais, sobre os ritmos das línguas, sobre o arcaísmo infantil da rima e sua arbitrariedade produtora de semelhanças,...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$1,99

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.

ASSINATURA

DESDE R$12,90

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA



  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição

MICROPAGAMENTO

R$1,99

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.

ASSINATURA

DESDE R$12,90

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA





  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição
  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Patrícia Lavelle

É professora do Departamento de Letras da PUC-Rio, atuando no Programa de Pós-graduação em Literatura, Cultura e Contemporaneidade. Doutora em filosofia pela École des Hautes Études en Sciences Sociales de Paris, onde morou entre 1999 e 2014, tem livros de ensaios publicados na França e no Brasil, além de traduções do francês e do alemão. Como poeta, publicou Migalhas metacríticas (7Letras, coleção Megamíni, 2017) e Bye bye Babel (7Letras, 2018). Bye bye Babel obteve a primeira menção honrosa do Prêmio Cidade de Belo Horizonte, edição de 2016.




Sugestão de Leitura


Perspectivas de leitura entre dois antipássaros

  Essa leitura d’O Antipássaro, livro póstumo de Donizete Galvão cuidadosamente editado por Paulo Ferraz e Tar ...

Releituras de Orides Fontela, agora

  Escrevo entre a ameaça inominável na política e o incêndio que, entre livros e outras preciosidades, destrui ...

Rendas para um escafandro: um ensaio e um poema para Lu Menezes

  Estes primeiros versos do poema “Render”, incluído em Abre-te, Rosebud! (7Letras, 1997), poderiam servir de introdu& ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2019 REVISTAPESSOA.COM