Imagem 1536757917.jpg

Como vim parar aqui?

Foto de Angela Marsiaj. Por Lígia Eça Negreiros



2018-09-12

 

Angela Marsiaj escreve ficção desde 2014, é como ela se apresenta na biografia que pedi. E acho que essa apresentação diz muito sobre ela, sobre o processo de escrita, sobre mulheres e literatura. Sobre o desejo e o tempo que passa. Quatro anos, penso, Angela Marsiaj escreve ficção há quatro anos. Ou a história poderia começar assim: um dia, uma mulher com a vida já pronta (família, uma carreira etc.), decide começar de novo e escrever literatura. E a história continua: “um dia”, Angela Marsiaj escreve um belíssimo romance chamado Rui Rosco. Na entrevista, ela diz a seguinte frase: “Só...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Carola Saavedra

É autora dos romances Toda terça (2007), Flores azuis (2008), Paisagem com dromedário (2010), O inventário das coisas ausentes (2014) e Com armas sonolentas (2018), todos pela Companhia das Letras. Seus livros foram traduzidos para o inglês, francês, espanhol e alemão. Está entre os vinte melhores jovens escritores brasileiros escolhidos pela revista Granta. É doutora em Literatura Comparada pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro, professora e pesquisadora de Literatura e Estudos Culturais no Instituto Luso-Brasileiro na Universidade de Colônia. Sua pesquisa atual, sobre arte e literatura indígena no Brasil, é parte do projeto “O pensamento das margens: arte e literatura indígena e afro-brasileira”, financiado pela Fundação Thyssen. Acaba de lançar o livro de ensaios O mundo desdobrável: ensaios para depois do fim (Relicário 2021).




Sugestão de Leitura


Em busca de voz própria

  Louise Belmonte tem 22 anos e acaba de escrever Primeira pele um romance profundo, belo e intenso. Lembro imediatamente das palavr ...

Humor diante da tragédia

  Uma das coisas mais difíceis num romance é o humor, trabalhar com humor de forma a que ele seja uma constante, trabalhar ...

Terrapreta: o outro e o afeto

  Rita Carelli me chamou a atenção logo que a conheci, algo no seu olhar, parecia ao mesmo tempo tão perto e t&atild ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2021 REVISTAPESSOA.COM