Imagem 1554023737.jpg

Não desonrem os que lutaram por nós

Foto: Passeata dos cem mil contra a ditadura militar brasileira



2019-03-31

A literatura talvez ainda possa nos ajudar a entender o caos desses dias. Mas, enquanto os textos se assentam, vale fazer um percurso de volta às obras que têm como foco a ditadura de 1964. Não as narrativas produzidas na época, que são muitas e que se debruçam sobre um presente que parecia, então, não ter fim – nesse aspecto, um tempo parecido com o que estamos vivendo hoje –, mas alguns livros muito recentes, que trazem para o centro da cena os sobreviventes, lançando uma indagação sinistra sobre a lembrança de cada vida perdida: como não percebemos o que estava acontecendo, e o que estava por vir, se todos os indícios apontavam para isso? Não é sem um frio na espinha que lemos essas histórias neste momento.

Sartre dizia que a função do escritor é fazer com que ninguém possa ignorar o mundo e se considerar inocente diante dele. Parece justo pensar que o próprio autor deva estar inscrito nessa equação. Em Bolor (de 1968), impressionante romance português sobre os tempos do salazarismo, Augusto Abelaira coloca em cena um pintor que, desconsolado, propõe o silêncio dos artistas, um “pôr-se entre parêntesis até que o mundo se transforme”. Ciente de que, com vontade ou sem ela, a arte dá “satisfação às necessidades vitais de beleza, não de todos os homens, mas somente de alguns: e os piores”, ele se dilacera em seu conflito, sem, é claro, conseguir parar de produzir. Até que encontra uma solução provisória: pinta o retrato de uma mulher nua, extremamente bela de rosto, mas com um corpo repelente, coberto de chagas. Depois, esconde suas feridas sob uma camada de tinta especial, que se decomporá com o passar dos dias, revelando a obra original: “Ao...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$1,99

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.

ASSINATURA

DESDE R$12,90

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA



  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição

MICROPAGAMENTO

R$1,99

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.

ASSINATURA

DESDE R$12,90

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA





  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição
  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Regina Dalcastagnè

É professora de literatura brasileira da Universidade de Brasília e pesquisadora do CNPq. Coordena o Grupo de Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea e edita as revistas Veredas e Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea. Tem inúmeros artigos e livros publicados.




Desenvolvido por:
© Copyright 2019 REVISTAPESSOA.COM