Imagem 1567766575.jpg

das afecções.2 - demência

Foto: Forte São José, parte integrante da Fortaleza de São João, Rio de Janeiro (Tânia Rêgo/Agência Brasil)



2019-09-06

e mesmo hoje, mijado na garagem do meu edifício, numa grande rua desta cidade, buscando ir para minha casa sem saber que em parte nela já estou e que em parte dela já havia saído há muitos anos, e que nunca mais a encontraria, doeu no meu coração. devo ter mijado também de dor. além de solidão. e de já não saber mais a todo tempo quem sou. nem onde estou. vivemos muito tempo de desamor. vivemos tempos de desamor. todos nós. vivemos tempos de desamor

 

pergunto-me como cheguei aqui, aonde estava vivendo, a cueca molhada e a estrada de terra que não via mais, em meio à garagem suburbana, aos carros, às sirenes, aos ruídos estridentes da cidade, eu que buscava só a minha casa, vindo de uma noite passada com meus pais, meus avós, todos os meus antepassados mais próximos em minha cama, sim ela também estava, a minha mulher, morta faz sete anos. continuava fazendo cara feia. o desamor é feio. vivemos muito tempo de desamor. vivemos tempos de desamor. todos nós. vivemos tempos de desamor.

hoje tenho só oitenta e três. não sei...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Ana Kiffer

É Professora da Pós-Graduação em Literatura, Cultura e Contemporaneidade da PUC-Rio, Cientista do Estado pela FAPERJ e Bolsista de Produtividade no CNPq. Curadora convidada da Bienal de SP 2021. É escritora, com livros como Tiráspola e Desaparecimentos, Editora Garupa, 2016, A punhalada, 7Letras, 2016, Todo Mar, Urutau, 2018; colunista da Revista Literária Pessoa, pesquisadora da obra do escritor francês Antonin Artaud, vem desenvolvendo há muitos anos uma investigação sobre os diversos modos de relação entre os corpos e a escrita. Autora do livro Antonin Artaud, EDUERJ, 2016, e com Gabriel Giorgi Ódios Políticos e Politica do Ódio, RJ: Bazar do Tempo, 2019 e Las Vueltas del ódio, BA: Eterna Cadência, 2020. Organizadora do livro A Perda de Si – cartas de A. Artaud, Rocco, 2017; e das coletâneas Sobre o Corpo 7Letras, 2016, Expansões Contemporâneasliteratura e outras formas, com Florência Garramuno, UFMG, 2014, entre outros artigos e ensaios.  Fotografada por Aline Macedo.




Sugestão de Leitura


Escrever desde o Sul. 9

  com o coração na garganta   a gente lembra com a perna o quanto o tempo parou "Vingar", de Da ...

escrever desde o Sul. 8

  nunca conheci o meu avô paterno. Sebastiao Kiffer, o Coca. meu pai, que cada vez mais vem se lembrando da sua infânci ...

escrever desde o Sul. 7

  quando se perde um amor, ou a ideia de um amor, ou um possível amor, ou uma possibilidade quiçá de que isso seria ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2021 REVISTAPESSOA.COM