Imagem 1596709760.jpg

Uma mensagem para agora em crônicas de José Saramago

Foto: José Saramago. Cortesia Fundação José Saramago



2020-08-06

Assim como os autores de ficção científica, esse cronista apresentará ao leitor um ambiente estranho e imaginário a ser transformado num campo de novas ideias. A partir dessa narrativa, o escritor retrata tempos e espaços diferentes dos nossos, mas que podem se fazer presentes, visto que partem de percepções importantes para as discussões sobre a sociedade contemporânea.

 

Em 1971, a Editora Arcádia publicou o livro Deste Mundo e do Outro, que reunia as crônicas escritas por José Saramago entre 1968 e 1969, no vespertino A Capital. São textos pouco conhecidos pela maioria dos leitores acostumados aos romances mais aclamados do autor português, como Memorial do convento (1982) e Ensaio sobre a cegueira (1994).

Consideradas matrizes para o projeto ficcional do escritor português, as crônicas funcionaram como exercício imaginativo para sua obra. No volume, há quatro crônicas que revelam o interesse de José Saramago pela ficção científica. A primeira menção ao gênero aparece em “Os navegadores”. “Os escritores que se dedicam...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Tania Antonietti Lopes

Graduação em Letras (Português-Francês), mestrado e Doutorado em Estudos Literários pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Pós-Doutorado pela Unesp, com bolsa FAPESP. Estudou a obra ficcional de José Saramago, cujo tema desenvolvido diz respeito às formas do insólito. Concluiu, em 2020, pós-doutorado no Programa de Literatura Portuguesa (FFLCH-USP), com pesquisa desenvolvida acerca da escrita literária e pós-memória, na qual estudou temas relacionados aos retornados. Integra o Grupo de Pesquisa Colonialismo e Pós-Colonialismo em Português (FFLCH-USP).




Sugestão de Leitura


Isabela Figueiredo: para nunca esquecer

  Caderno de memórias coloniais (2009) e A gorda (2016), textos que se articulam e dialogam, não se esgotam. Precisam ser l ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2021 REVISTAPESSOA.COM