Imagem 1616615191.jpg

"Carrero leva a literatura ao front de batalha"

Foto: Raimundo Carrero. Divulgação



2021-03-24

O universo de Raimundo Carrero é denso, dramático, visceral – pela própria matéria que escolhe: a violência contra os mais fracos; a violência nas próprias vísceras da vida.

 

Dos primeiros romances de Raimundo Carrero a esse, mas recenteEstão matando os meninos – o enquadramento da realidade, como em um zoom, foi crescendo em nitidez, em depuração. Um deslocamento de foco proposital nos últimos romances marca o alargamento do compromisso com a realidade urbana. Em Estão matando os meninos, sua experiência mais radical na denúncia da violência, Carrero muda a paisagem e o tom. Se em algum lugar há flores, mesmo agrestes, se há gorjeios de pássaro, se há saxofone no meio da noite, se há qualquer sinal de lirismo, não é aqui, aqui não, nada disso. Quando...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Lourival Holanda

Professor da Universidade Federal do Pernambuco, Lourival Holanda nasceu em 1950 no sertão do Araripe. Formado em filosofia pela Paris VIII e doutor em letras pela Universidade de São Paulo, Lourival é autor de vários estudos sobre cultura e literatura no Brasil e na França. Publicou Fato e fábula (1999) e Sob o signo do silêncio (1992), estudo comparativo sobre Vidas secas, de Graciliano Ramos, e O estrangeiro, de Albert Camus. Sua obra mais recente é Álvaro Lins: crítico literário e cultural (2008).




Desenvolvido por:
© Copyright 2021 REVISTAPESSOA.COM