Imagem 1617809183.jpg

Ordens normativas

Foto: Rainer Forst e Paula M. Weiss. Por Dominik Mentzos - cortesia



2021-04-05

O capitalismo global ajudou a melhorar a vida das pessoas em muitas regiões do mundo. Mas as estruturas da produção global e da distribuição de bens são terrivelmente assimétricas e promovem ao mesmo tempo riqueza, exploração, privação de direitos e destruição da natureza - e tudo de forma bem desigual. Sob a perspectiva da justiça, é importante ver que o fato de as pessoas estarem melhores quando elas têm um trabalho mal pago do que quando não têm nenhum trabalho em nada muda a exploração da qual são vítimas.

 

Na minha coluna deste mês entrevisto Rainer Forst, um dos grandes filósofos do nosso tempo. Conheço Rainer há alguns anos, já cooperamos em vários projetos culturais que buscavam romper o muro entre o discurso acadêmico e a sociedade, com o objetivo de sair da torre de marfim e participar ativamente na construção de um modo de vida mais justo, equalitário. Encontramo-nos durante uma brecha na sua agenda repleta de conferências e discussões virtuais, seguindo as regras de prevenção ao coronavírus, para uma conversa ao ar livre no teto do seu instituto, na Universidade Goethe de Frankfurt. No bate-papo, tratamos de...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Paula Macedo Weiss

Paula Weiss tem mestrado e doutorado em Direito pela Universidade de Tübingen. Desde 2014, assessora a prefeitura da cidade de Frankfurt em diversos projetos culturais. Na Alemanha, é presidente da Fundação Museu de Artes Aplicadas e integra os Conselhos do Teatro Inglês, do Museu de Arte Moderna e do Teatro de Frankfurt. É também patrona da Bienal de Berlim. Com um grupo de cientistas políticos e pesquisadores de diversas áreas, que ajudou a formar em Frankfurt, trabalha ativamente na concepção da Casa da Democracia, cujo objetivo será discutir o futuro da ordem democrática na Alemanha e no mundo. Recentemente lançou o livro de autoficção Entre nós, pela Folhas de Relva Edições. Fotografada por Dominik Mentzos




Sugestão de Leitura


O modelo Frankfurt: Cultura para todos

  Vim a Frankfurt pela primeira vez de passagem, para pegar um navio e fazer uma viagem pelo Meno. Nessa época a cidade ainda ...

Coesão social: o que, como?

  Atravessamos, desde a redemocratização com a promulgação da Constituição de 1988, um dos mome ...

Revolução na cabeça

  Crises econômicas, pobreza e insatisfação política generalizadas desestabilizaram a ordem social e pol&iacut ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2021 REVISTAPESSOA.COM