Imagem 1621328306.jpg

Mãe branca, mãe preta e o início do romance no Brasil

Foto do acervo da autora



2021-05-18

Outra força, no entanto, mobiliza a narrativa – a das personagens escravizadas, que pela primeira vez em nossa literatura se expressam em sua própria voz. É Susana quem apresenta, em primeira pessoa, a história de sua vida, desde o idílio africano – com descrições vivas de sua terra, da captura, da travessia de navio – até os sofrimentos do trabalho escravo no Brasil. Acredita-se que Maria Firmina tenha baseado tais passagens em depoimentos de ex-cativos com quem conviveu no Maranhão.

 

Primeiro romance brasileiro publicado por uma mulher, Úrsula, de Maria Firmina dos Reis (1822 – 1917), não é um livro sobre maternidade. O tema, no entanto, é central para a trama, que traz, de um lado, a personagem-título e sua mãe, Luísa B., e, de outro, sua escrava Susana, separada da família quando capturada como cativa na África e trazida para o Brasil. Enquanto a forte ligação entre as duas mulheres brancas lhes permite suportar com amor e ternura os sofrimentos infligidos por uma sociedade patriarcal, o sistema escravista impõe à mulher negra que as serve a saudade permanente da...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 3.50

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


ASSINATURA

DESDE R$ 39.00

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA



  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição

MICROPAGAMENTO

R$ 3.50

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


ASSINATURA

DESDE R$ 39.00

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA





  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição
  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Luisa Destri

Luisa Destri escreve e pesquisa – quase nunca nessa mesma ordem, muitas vezes sobre literatura, atualmente em torno da representação literária da maternidade. Tem doutorado em Literatura Brasileira (USP) e mestrado em Teoria e História Literária (Unicamp), com estudos sobre poesia brasileira. É coautora da biografia Eu e não outra – a vida intensa de Hilda Hilst (Tordesilhas, 2018).




Sugestão de Leitura


A nova mulher do século XIX

  Neste momento em que a demanda de movimentos pela leitura da literatura escrita por mulheres encontra ressonância no públi ...

De onde venho, de onde viemos

  “Eu estava na estação de metrô, voltando para casa. De repente, olhei em volta e percebi que todas as pessoas ...

Maternidade e sororidade se fundem em narrativa sobre estupro

  Vista chinesa, de Tatiana Salem Levy, é dos livros mais importantes dos últimos tempos. Por isso escolho comentá-l ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2021 REVISTAPESSOA.COM