Imagem 1624350755.jpg

A nova mulher do século XIX

Foto do acervo da autora



2021-06-22

Uma das primeiras escritoras feministas da literatura brasileira ainda hoje abre caminhos para pensar os sentidos da representação literária das mulheres

 

Neste momento em que a demanda de movimentos pela leitura da literatura escrita por mulheres encontra ressonância no público, chama atenção o fato de Maria Benedita Bormann (1853 – 1895) permanecer pouco discutida. Uma das romancistas mais atuantes no fim do século XIX pela emancipação feminina, ela produziu, a partir de temas como o casamento, a maternidade e a escrita, retratos no mínimo interessantes sobre a condição das mulheres burguesas na sociedade da época.

Nascida em 1853, no Rio Grande do Sul, lançou-se como escritora num tempo em que escrever literatura era publicamente coisa de homem, e ousou imaginar altos voos...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 3.50

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


ASSINATURA

DESDE R$ 39.00

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA



  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição

MICROPAGAMENTO

R$ 3.50

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


ASSINATURA

DESDE R$ 39.00

PARA TODO O CONTEÚDO DA REVISTA





  1. - Prioridade na participação de eventos organizados
  2. - Descontos em títulos lançados pela Pessoa
  3. - Envio de newsletter com os destaques da edição
  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Luisa Destri

Luisa Destri escreve e pesquisa – quase nunca nessa mesma ordem, muitas vezes sobre literatura, atualmente em torno da representação literária da maternidade. Tem doutorado em Literatura Brasileira (USP) e mestrado em Teoria e História Literária (Unicamp), com estudos sobre poesia brasileira. É coautora da biografia Eu e não outra – a vida intensa de Hilda Hilst (Tordesilhas, 2018).




Sugestão de Leitura


Mãe branca, mãe preta e o início do romance no Brasil

  Primeiro romance brasileiro publicado por uma mulher, Úrsula, de Maria Firmina dos Reis (1822 – 1917), não é ...

De onde venho, de onde viemos

  “Eu estava na estação de metrô, voltando para casa. De repente, olhei em volta e percebi que todas as pessoas ...

Maternidade e sororidade se fundem em narrativa sobre estupro

  Vista chinesa, de Tatiana Salem Levy, é dos livros mais importantes dos últimos tempos. Por isso escolho comentá-l ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2021 REVISTAPESSOA.COM