Imagem 1633620291.jpg

Camelos, leões e crianças na literatura

Ilustração: Julio Dinis. Reprodução



2021-10-07

A literatura nos presenteia com a oportunidade de pensar que não deveríamos perpetuar eternamente os nossos valores, mas sim colocá-los em xeque, refletindo sobre o próprio processo de construção desses valores. É imensa a potência de desterritorialização do pensamento, expandindo nossos poderes de afetar e de sermos afetados.

 

“É um ensino eficaz o do infortúnio.”

Julio Dinis

 

“O que não mata, fortalece.”

Nietzsche

 

 

 

Recentemente, a convite do Festival Literário de Ovar, fui convidada a pensar sobre uma das muitas frases cunhadas pelo escritor e poeta Julio Dinis, cujo aniversário de morte de 150 anos foi lembrado em vários eventos espalhados por Portugal. Bom, eu nunca li Julio Dinis. Não era leitura obrigatória na minha escola, no Brasil, e quando seu romance mais famoso, As Pupilas do Senhor Reitor, foi adaptado para novela de sucesso no SBT, eu já me preparava para entrar...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Carla Mühlhaus

Jornalista e escritora nascida no Rio de Janeiro. Já foi ghostwriter, mas nunca gostou do termo. Fantasmas não existem e costumam ser invisíveis. Hoje é escritora viva, autora de Nos vemos em Marduk (Patuá) e À sua espera (Dublinense), entre outros. Reside atualmente em Portugal. 




Sugestão de Leitura


Filosofar como um cão farejador

  O “natural” existe? É preciso responder essa pergunta antes de falar sobre o conservadorismo, e precisamos falar ...

A criança no mundo

É da modernidade questionar o mundo, olhá-lo com distanciamento, como se pudéssemos enxergá-lo “de fora&rdquo ...

Brasil, Breton, batom e a raiva sem moderação

  Foi por causa do Brasil de 2018 que comecei a estudar o Surrealismo, não me perguntem o porquê. Foi um impulso inconscient ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2022 REVISTAPESSOA.COM