Imagem 1643036967.jpg

Brasil, Breton, batom e a raiva sem moderação

Meret Oppenheim, Pelzhandschuhe. Foto: Stefan Altenburger



2022-01-24

 

Foi por causa do Brasil de 2018 que comecei a estudar o Surrealismo, não me perguntem o porquê. Foi um impulso inconsciente mesmo, nada parecido com a escrita automática ou o delírio provocado, se é que isso existe, de Salvador Dali. Não parecia fazer muito sentido no começo, mas nada fazia sentido mesmo naquela confirmação de pesadelo golpista, então continuei.

Acabei aprendendo um bocado sobre patriarcalismo e misoginia, o que me fez ver que, no final, tudo se encaixava e sim, a minha pesquisa era pertinente ao momento do meu país. Acho que não preciso explicar a conexão entre os dois...

Continuar lendo

AINDA NÃO TEM PLANO? SELECIONE:

MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


MICROPAGAMENTO

R$ 6.80

ou

€ 1,10

APENAS ESTE ARTIGO

  1. Você pode acessar apenas o artigo que pretender ler. Faça um micropagamento para baixa-lo. É facil.

  2. A compra avulsa de um artigo não dá acesso ao conteúdo integral da revista.


  1. As assinaturas e os micropagamentos são necessários para manter a Revista Pessoa

  2. Precisa de ajuda ou mais informação?
  3. Entre em contato:
  4. revistapessoa@revistapessoa.com


Carla Mühlhaus

Jornalista e escritora nascida no Rio de Janeiro. Já foi ghostwriter, mas nunca gostou do termo. Fantasmas não existem e costumam ser invisíveis. Hoje é escritora viva, autora de Nos vemos em Marduk (Patuá) e À sua espera (Dublinense), entre outros. Reside atualmente em Portugal. 




Sugestão de Leitura


A criança no mundo

É da modernidade questionar o mundo, olhá-lo com distanciamento, como se pudéssemos enxergá-lo “de fora&rdquo ...

Camelos, leões e crianças na literatura

  “É um ensino eficaz o do infortúnio.” Julio Dinis   “O que não mata, fortalece.&rd ...

Nietzsche para tempos difíceis

  Voltar sempre ao Nietzsche, ao Zaratustra, retornar sempre ao eterno retorno. De quando em quando, de década a década, de ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2022 REVISTAPESSOA.COM