Imagem Carrascoza.png

Contagem regressiva para a festa nacional do conto



2014-05-12

Na próxima segunda-feira, dia 19 de maio, o escritor Sérgio Sant’Anna, homenageado do evento, abrirá o único festival dedicado ao conto da América Latina com um bate-papo em torno de sua obra, mediado pelo crítico literário Kelvin Falcão Klein.  Outros dezesseis contistas e dois espetáculos teatrais incrementam a programação que prossegue até o dia 25 de maio, toda concentrada no Teatro Sesc Prainha, na Travessa Syriaco Atherino, 100, no centro de Florianópolis.  O evento é um projeto de difusão, discussão e fomento, que traz para Santa Catarina o debate sobre um dos gêneros literários mais instigantes. “É um festival independente, focado na qualidade das obras dos autores e não nos seus potenciais de marketing, nosso compromisso é com o leitor”, afirma o idealizador do evento, o escritor e editor Carlos Henrique Schroeder. O festival é uma realização do Sesc e da Design Editora, com apoio da Editora da UFSC, Revista Pessoa, RicMais e da coleção de contos Formas breves.

A Revista Pessoa fará a cobertura completa do evento, direto de Florianópolis.

Mais informações no site oficial evento: www.festivalnacionaldoconto.com.br  


Sérgio Sant’Anna, o homenageado de 2014
O autor homenageado desta quarta edição é o escritor carioca Sérgio Sant’Anna, que iniciou sua carreira de escritor em 1969, com os contos de O sobrevivente, livro que o levou a participar do International Writing Program da Universidade de Iowa, nos Estados Unidos. Teve obras traduzidas para o alemão e o italiano e adaptadas para o cinema. Recebeu quatro vezes o prêmio Jabuti, a mais recente pelos contos de O voo da madrugada (2003), que recebeu também o prêmio APCA e o segundo lugar no prêmio Portugal Telecom de literatura. Seu livro mais recente é Páginas sem glória, lançado em 2012 pela Companhia das Letras.

A programação
19 de maio -  Segunda-feira   20h – Abertura oficial do 4a Festival Nacional do Conto: homenagem e bate-papo com Sérgio Sant’Anna (RJ). Mediação de Kelvin Falcão Klein.   Nasceu no Rio de Janeiro em 1941 e estreou na literatura em 1969, com O Sobrevivente, livro de contos que o credenciou para participar do International Writing Program da Universidade de Iowa, nos Estados Unidos. Com dezessete livros, muitos prêmios e duas adaptações de seus livros para o cinema, Sérgio Sant’Anna é hoje um dos grandes escritores brasileiros em atividade, e sua prosa experimental e transgressiva é inspiração para diversas gerações de escritores e leitores. Embora já tenha publicado poesia, peças de teatro, novelas e romances, ele se considera um contista: “Me dou melhor com formas mais breves. Tenho muito mais tendência à narrativa curta do que ao romance. O conto me permite experimentar mais.” Dentre suas principais estão Confissões de Ralfo (1975), O concerto de João Gilberto no Rio de Janeiro (1982), A senhorita Simpson  (1989), O monstro (contos) e O voo da madrugada (contos, 2003), dentre outros.    

20 de maio  – Terça-feira   20h – Breves mitologias, com Altair Martins (RS), Rafael Gallo (SP), Sérgio Medeiros (SC) e Péricles Prade (SC). Mediação de Katherine Funke. Quatro escritores numa conversa franca sobre a mitologia que cerca os processos criativos do conto. Altair Martins, vencedor dos prêmios Moacyr Scliar e Açorianos (Enquanto água, contos) e São Paulo de Literatura (A parede no escuro, romance), encontra Rafael Gallo, vencedor do Prêmio Sesc de Literatura (Revéillon e outros dias, contos) e duas das mais importantes vozes da literatura no estado de Santa Catarina: os poetas, tradutores e contistas Sérgio Medeiros (O desencontro dos canibais, contos) e Péricles Prade (Alçapão para gigantes e Ao som do realejo, contos).


21 de maio – Quarta-feira 20h – Pico na veia, com Daniel Pellizari (RS), André Sant’Anna (SP), Paulo Sandrini (PR) e Fábio Brüggemann (SC). Mediação de Demétrio Panarotto. Quatro dos mais inventivos contistas brasileiros fervilhando ao redor da máxima “um bom conto é pico certeiro na veia”, de Dalton Trevisan. Daniel Pellizari (O Livro das Cousas que Acontecem e Ovelhas que Voam se Perdem no Céu, contos) fervilha com o contista, romancista e músico André Sant’Anna (O Brasil é bom e Inverdades, contos) e, também, com o contista Paulo Sandrini (Códice d’incríveis objetos & Histórias de Lebensraum e O estranho hábito de dormir em pé, contos) e Fábio Brüggemann (Riomadrenses e Fabulário de ilustres desconhecidos, contos).

22 de maio – Quinta-feira 20h – Solidão na ponta da vírgula, com Sérgio Fantini (MG), Luiz Roberto Guedes (SP) e André Timm (SC). Mediação de Demétrio Panarotto. O ato solitário da escrita, a vírgula como uma faca que espreita a solidão dos personagens, Sérgio Fantini (Novella e A ponto de explodir, contos), Luiz Roberto Guedes (Dez romances breves e Alguém para amar no fim de semana, contos) e André Timm (Insônia, contos) com as mesmas vinte palavras girando ao redor do sol que as limpa do que não é faca (trecho do poema de João Cabral de Melo Neto para Graciliano Ramos).

23 de maio – Sexta-feira 20h – Contofantasma, com Márcia Denser (SP), Noemi Jaffe (SP), Cíntia Moscovitch (RS) e Luísa Geisler (RS) . Mediação de Katherine Funke. O olhar afiado de quatro grandes contistas sobre suas próprias produções, num encontro clássico de gerações e estilos. Márcia Denser (Tango Fantasma e Diana Caçardora, Contos), Noemi Jaffe (A verdadeira história do alfabeto, contos), Cíntia moscovich (Arquitetura do arco-íris e Essa coisa brilhante que é a chuva, contos) e Luísa Geisler (Contos de mentira, contos) no limite da linguagem.

 24 e 25 de Maio – Sábado e Domingo 1ª etapa Programa Sesc de Criação Literária, com Sérgio Fantini Das 14h30 às 19h30 O QUE É: Parte do Programa Sesc de Criação Literária 2014, é um espaço de troca de experiências entre participantes, sob a mediação do escritor Sérgio Fantini, para a construção compartilhada de textos em prosa. O curso tem duração de 20 horas/aula. A segunda etapa será realizada nos dias 21 e 22 de junho, com a mesma turma inscrita nesta primeira.

Para participar, é necessário se inscrever na Central de Atendimento do Sesc Florianópolis. Valores: R$25,00 para comerciário e R$50,00 para usuários.

PARA QUÊ: Buscar crescimento como prosadores, por meio de leitura, análise, debate, exercício e produção de textos, coletivamente.

COMO: Um pequeno grupo (máximo de 15 pessoas) troca informações, gostos, descobertas, preferências; cada um lê seus textos, opina e ouve, acata, refuta, busca alternativas; faz exercícios propostos e cria outros; reflete sobre sua própria criação e a de colegas; cria contos, a partir de temas dados, e conversa sobre eles.

24 de maio – Sábado 20h – Performance “O que matou Porfíria Reis?” (50min, 12 anos) Livremente inspirada no livro de contos Quem matou Porfíria Reis?, de Fred Paiva e Suelen Rocha, a performance une música, teatro e literatura, num convite às inúmeras possibilidades de uma mesma história. Adaptação e música de Fred Paiva e Suelen Rocha.

25 de Maio – Domingo 20h – Espetáculo de encerramento do 4a  Festival Nacional do Conto: “PRELÚDIOS – em quatro caixas de lembranças e uma canção de amor desfeito”, com Susana Fuentes (RJ) (60 minutos, Livre) O desenlace da vida de uma mulher, às voltas com suas lembranças depois de uma decepção amorosa. O espetáculo reúne na linguagem teatral a mímica, a música e o texto. Criação, texto e interpretação de Susana Fuentes, autora do livro de contos Escola de Gigantes, e direção da cineasta Eunice Gutman. Música original de Susana Fuentes e Fernando Guilhon. O mote vem das palavras Gabriel García Márquez em Cem Anos de Solidão, na voz de um certo cigano de passagem pelo livro: “As coisas têm vida própria. Tudo é questão de despertar a sua alma”.  Em foco o tempo e o olhar, tempo para acordar a casa. O espetáculo foi selecionado para participar do Festival Internacional de Teatro Fringe NYC, em agosto de 2012,  participou de uma série de apresentações no The Gene Frankel Theatre, Soho, Manhattan, NY.



Revista Pessoa
 



Sugestão de Leitura


País de mim

  O peso da vida! Gostava de senti-lo à tua maneira e ouvi-la crescer dentro de mim, em carne viva, não queria soment ...

Museu da Língua Portuguesa convoca artistas e educadores para programação cultural

O Museu da Língua Portuguesa está abrindo edital para selecionar artistas, educadores, escritores e coletivos para compor a program ...

Salvador, na Bahia, recebe o primeiro Festival da Língua Portuguesa - FELPO

Nos dias 28, 29 e 30 de março, a capital baiana será o palco da celebração da língua portuguesa com uma progra ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2019 REVISTAPESSOA.COM