Roberto Zular

Roberto Zular começou sua carreira como poeta com o livro Superfície, Transparência, Espelho, premiado no projeto Nascente de 1993.  Juntamente com  Verónica Galindez Jorge traduziu e organizou o livro  Dois ao Cubo – Alguma poesia francesa contemporânea (Olavobrás) e em 2010 publicou o livro Estilhaço (Annablume). Depois de um longo percurso universitário dedicado, sobretudo, ao poeta Paul Valéry e aos processos de criação literária, dedica-se atualmente ao estudo da oralidade e da voz.
Recomendado

Guardo ar

2015-07-06
Fingimento - seção brasileira
  BATO  a cabeça na porta da imagem e ela resiste polimorfa perversa   Jogo-a na parede e ela se vira cinema   corto-a e ela se holograma &n ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2019 REVISTAPESSOA.COM