Mariano Marovatto

Mariano Marovatto nasceu no dia primeiro de abril de 1982, no Rio de Janeiro. Escreveu livros como Estirâncio (7Letras, 2019), Casa (7Letras, 2015) e Vinte e cinco poemas com Chico Alvim (Luna Parque, 2015), e gravou alguns discos, entre eles: Praia (Maravillha 8, 2013) e Selvagem (Embolacha, 2016). Como pesquisador e arquivista literário, foi responsável, entre outros trabalhos, pela organização do acervo do escritor e compositor Cacaso e pela pesquisa de inéditos e estabelecimento de texto da Poética de Ana Cristina Cesar. Recentemente organizou Os Fantasmas Inquilinos, antologia de poemas de Daniel Jonas (Todavia, 2019) e a versão em português de Silêncio de John Cage (Cobogó, no prelo). Doutor em literatura brasileira pela PUC-Rio, Mariano foi também apresentador e roteirista do programa musical Segue o som na TV Brasil entre 2009 e 2016. Toda a sua produção está disponível aqui

Recomendado

"O que é pequeno acarreta muita pequenez"

2020-11-20
Copacabana, Lisboa
  Tísica Não há conserto possível. As calçadas tem bexiga e a primavera está tísica. O pleuris balança as fo ...

Você vai morrer

2020-11-13
Copacabana, Lisboa
  Sarjeta Na despensa, a farinha amanheceu repleta de carunchos. Larvinhas alvacentas comiam com tristeza a pimenta, o coentro, a hortelã. Dentro do saco do ...

O poeta não dança

2020-11-06
Copacabana, Lisboa
  Lisboa, 15:30  “Em Lisboa, passei a vida à toa, à toa”, diria Bandeira se lá vivesse. É provável que ainda sej ...

Conversa com seres invisíveis

2020-10-30
Copacabana, Lisboa
  Um espelho Trouxe um espelho grande para casa. Durante a quarentena, nos víamos apenas pelo pequeno espelho sobre a pia do banheiro, guardião das escovas de dente. Ago ...

Verdades intransigentes

2020-10-23
Copacabana, Lisboa
  Experiência do lugar Há mil trajetos em Lisboa e para cada trajeto há um narrador lisboeta. Cada narrador lisboeta tem consigo uma dezena de v ...

Sorria feito parva

2020-10-16
Copacabana, Lisboa
  Similar ao frango brasileiro A primeira coisa que gostei de Angra do Heroísmo foi a empada, esfarelenta como a brasileira. Gostei também da gar&cced ...

O desejo é aquilo que vejo nos sonhos

2020-10-09
Copacabana, Lisboa
  O maior quintal do mundo Jonas Mekas disse que todas as mulheres da sua infância eram pássaros. Pássaros tristes de outono cantando no frio do ...

A ironia é um dos deuses mais lindos

2020-10-02
Copacabana, Lisboa
  Apocalipse de Baruch Puseram um véu branco sobre o prédio à frente. A árvore que tapa metade do prédio perdeu suas folhas e par ...

Naquela última curva de Sagres

2020-09-25
Copacabana, Lisboa
  Avejões Antônio Maria era grande e tinha a cara redonda. Homem de couvert e whisky, ele regia Copacabana. "Que sina, esta minha, de sonhar sempr ...

A literatura quando acaba tem cheiro de mofo

2020-09-18
Copacabana, Lisboa
  Descobri que te amo demais Um novo estabelecimento abriu na Avenida Atlântica. Furou o asfalto, o tédio, o escambau. Um restaurante amplo, verde, ape ...

O mundo já acabou aqui de diversas formas

2020-09-11
Copacabana, Lisboa
  Capatões e toninhas Leixões é um sítio, mas poderia ser um monstro marinho como os chocos e  os perceves. "Eis os gigantesco ...

De agora em diante

2020-09-04
Copacabana, Lisboa
  Estátua voadora soviética Uma pomba branca, maior do que as outras, voa em direção à janela do vizinho. Ela sabe o que faz. Ela ...

Nunca houve trilha sonora tão bela

2020-08-28
Copacabana, Lisboa
  Semáforos cósmicos "Mas aqueles arcos sem teto eram então a Ópera de Lisboa?", me pergunta minha mãe ao telefone. Dig ...

Tudo à mercê de inimigos terríveis

2020-08-21
Copacabana, Lisboa
  Vermes No dia 20 de agosto de 844, fazia calor em Lisboa. Cinquenta e quatro embarcações grandes e outras cinquenta e quatro mais pequenas surgiram ...

O homem contente

2020-08-14
Copacabana, Lisboa
    Gramática O Francis Ponge. Dizem que não terminou o curso de direito porque não sabia falar em público. Na guerra lutou pela ...

A primeira lembrança do mundo

2020-08-06
Copacabana, Lisboa
  Lojas Americanas Ir até as Lojas Americanas nas férias. Antes minha mãe diz que temos que passar no banco. Sua caligrafia assinando um cheque ...

Quero alegria

2020-07-31
Copacabana, Lisboa
Andorinha Longe do bairro, confinado algures sob outro céu, percebo já uma segunda lagarta negra sobre as pedras do jardim. Essa vai sonolenta misturar-se &ag ...

Um ar-condicionado carioca

2020-07-24
Copacabana, Lisboa
  Homem azul Três horas da tarde o sol desce ao bairro. Amarelo, da ladeira do Leme às artérias que desaguam na Avenida Atlântica, encontra a areia. De pé nos telhados d ...

Restolho de cidade

2020-07-17
Copacabana, Lisboa
    Outra praia Uma vez, Isadora Duncan pediu a João do Rio para ver aquela outra praia, depois da igrejinha de Nossa Senhora de Copacabana. Era de n ...

Era domingo

2020-07-10
Copacabana, Lisboa
  Abóboda craniana A rua chamava-se Haritoff por causa de Maurice. Nunca soube se era de São Petersburgo ou Moscou, mas veio para o Brasil na segunda ...

Se o sol vem

2020-07-03
Copacabana, Lisboa
  Seis horas Amanhece em São Pedro do Estoril. As rochas gigantescas na areia parecem fatias da cabeça ausente da Pedra da Gávea. A costa é da mesma areia do deserto mar ...

Diário das gaivotas

2020-06-11
Copacabana, Lisboa
  Diário das gaivotas A vida vista da varanda é anestésica. Há os pedaços de prédios, recortados, as linhas mais organizad ...

Verde selvagem

2020-05-29
Copacabana, Lisboa
  Cachorros Na semana que houve o verão de 2020, fomos à praia. Dois catadores, cada um com sua bermuda tactel puída, chinelos azuis, saco negr ...

Onde morre o sol

2020-05-22
Copacabana, Lisboa
  Domingo almorávida Num domingo ensolarado triste, parei por acaso no miradouro da igreja de Santa Luzia. Atravessada a Praça do Comércio, a S ...

Conivência

2020-05-15
Copacabana, Lisboa
  O Leblon Tem dias que a vida pós-apocalíptica parece uma festa. O Domingos, por exemplo. Como bom carioca, o Domingos me convidou para tomar um &uac ...

A rua

2020-05-01
Copacabana, Lisboa
  Pombos Não tenho certeza se ainda há nos arredores da Estação Siqueira Campos a senhora de vermelho. Se veste com umas amarras de pano ...

O universo está se desmanchando

2020-04-24
Copacabana, Lisboa
  O chinês do tamborim O carnaval são estas frases rigorosamente desarticuladas, escreveu o Carlinhos de Oliveira sobre um carnaval de 50 anos atr&aacu ...

Bandolim com corda arrebentada

2020-04-17
Copacabana, Lisboa
  Otário “Aí na moral, vou te furá, vou te furá, passa o telefone e o dinheiro”. Os olhinhos gringos incrédulos turva ...

O mundo é logo ali fora

2020-04-03
Copacabana, Lisboa
Saio puto do metrô Estou enfermo, sofro dos nervos. Há uma receita médica que comprova que sofro dos nervos. Oito horas da noite, enquanto penso na mort ...

Sai, doentes do corpo e doentes d’alma

2020-03-20
Copacabana, Lisboa
  Cartório O ritual burocrático é reconhecidamente o ritual oficial de uma mudança. A mudança de volta para Copacabana exigiu que ...

Umbigo do mundo

2020-03-09
Copacabana, Lisboa
O Pássaro Burro No meio da tarde, chuva de verão. Raios e trovões. O vento forte corre branco encharcado. Um único pássaro burro dá ...

Os dias recentes em Lisboa

2016-09-05
Vária
Outro dia troquei as esquinas do caminho e fui dar numa das artérias arborizadas das Avenidas Novas. Ali, cai num alfarrabista. Achei umas rechonchudas prateleiras dedicada ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2020 REVISTAPESSOA.COM