Maria Quintans

Nasceu em 1955 e vive em Lisboa. Poeta e dramaturga, fez parte da criação da Revista Inútil, onde foi directora editorial. Foi também editora na Hariemuj Editora, na Cama de Gato Editora e actualmente na Edições Guilhotina. Publica em 2008 o livro de poemas “Apoplexia da Ideia”, em 2010 “Chama-me Constança”, em 2013 “O Silêncio”, em 2014 “A Pata da Cabra” e em 2015 “Décimo terceiro andamento & Chama-me Constança”. Inicia-se na escrita de dramaturgia em 2015, com o monólogo “Décimo Terceiro Andamento”. Em 2016 continua na escrita dramatúrgica com a peça “À Espera do Samuel”, escrita em conjunto com Filipa Leal e Cláudia Lucas Chéu. Escreve também em 2016 a peça “Este não sou eu”, peça infanto-juvenil sobre a vida do poeta António Aleixo. Os seus poemas estão incluídos em várias antologias e publicados em diversas revistas.  Organizou, em 2012, a antologia poética “Meditações sobre o Fim - Os últimos poemas”.

Recomendado

se me empurrares

2018-03-08
Fingimento - seção portuguesa
  a manhã é uma criatura sem forma a visão turva das grandes ambições a tornarem-se silêncios pequeninos e a porta a bater ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2019 REVISTAPESSOA.COM