Javier Arancibia Contreras

É ex-repórter policial. Escreveu o livro-reportagem Plínio Marcos – ACrônica Dos Que Não Têm Voz(Boitempo Editorial/2002) e os romances Imóbile (7Letras/2008), finalista do Prêmio SP de Literatura, O Dia Em Que Eu Deveria Ter Morrido (Terceiro Nome/2010) e Soy Loco Por Ti, América (Companhia das Letras/2016), finalista do Prêmio São Paulo de Literatura, Prêmio Jabuti e Prêmio Leya (enquanto original). Em 2012 foi escolhido pela revista inglesa Granta como um dos vinte melhores escritores brasileiros com menos de 40 anos.

Recomendado

Nós e Eles

2018-03-17
Tabacaria
  “Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2018 REVISTAPESSOA.COM