Francisco Handa

Nascido a 31 de outubro de 1955 em Salto, interior de São Paulo,  Francisco Handa tem experimentado as palavras no campo da poesia e, mais especificamente, na forma haiku. A esta tem se dedicado, nos últimos trinta anos, a partir dos ensinamentos de H.Masuda Goga. Para ele, poesia é como a pintura abstrata: de cores variadas, sendo o haiku os traços firmes e negros do carvão de um sumiê. Coordenou várias antologias de haicai na década de 90, como Cem haicaístas brasileiros, As quatro estações e Gato na janela. Suas últimas publicações foram Olhos de neblina, de 2015 (haicais) e A sombra do outro, de 2010 (poesia). Mantém o blog de haiku “Pitangas Urbanas" e "Bloco de Haiku”.

Recomendado

Dez haikus com o kigô Presépio

2018-12-20
Fingimento - seção brasileira
    Numa estória antiga o presépio reproduz tempo de inocência.   Cada vez menor o espaço para o presépio. &md ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2019 REVISTAPESSOA.COM