O poeta de Pondichery

Diderot (ou quem fala por ele em Jacques le Fataliste) recebe um jovem que escreve versos. Acha os versos maus e diz ao jovem que ele há-d ...

Leituras que se cruzam nos jardins de Ana Martins Marques

  O que significa dizer que uma mulher não escreve “como mulher” ou não produz uma “poesia feminina&rdquo ...

Vládia

para a Barbara Rangel   Tive certa vez um vestido muito bonito, muito pouco objetivo. Metros de organza branca. Saiu para passea ...

"Torto arado" nasce na Bahia, atravessa o Atlântico e se afirma como literatura universal

Não me lembro da última vez que um livro de um autor brasileiro gerou tanta mossa em Portugal. Menos me lembrarei da última ...

Amor e Revolução - I

  On dit qu’il n’y a pas d’amour heureux. En fait, il n’y a pas d’amour licite. Diz-se que não ...

Sofá mineiro

  zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzz 1- COLAR „Poderás beijar-me, no colar de ametista, a minha figa preta de  que tanto ...

O meu Recife é outro

Quando chego num bar, numa reunião de amigos, basta que eu comece a falar e logo alguém que está a me conhecer naquele dia, ...

Uma travessia de horror e encantamento em O Língua, de Eromar Bomfim

  Há um tipo de leitura que me incomoda profundamente: as que não fiz ou, mais ainda, as que não tivemos chance de f ...

Questões de língua, multilinguismo e exílio

  Sem a intenção de fazer qualquer exegese bíblica, este fragmento do Livro do Génesis que trata o epis&oacut ...
Desenvolvido por:
© Copyright 2019 REVISTAPESSOA.COM